quarta-feira, 19 de julho de 2017

O QUE É COMPULSÃO ALIMENTAR?

Pergunta que geralmente aparece no consultório e trago uma explicação breve. Podemos entender a compulsão como episódios repetidos de ingestão de grande quantidade de alimentos. Essas quantidades muito superiores ao habitual daquele indivíduo, em circunstâncias semelhantes. E acompanhadas da sensação de perda de controle. 
Para diagnóstico é preciso a avaliação de um profissional de saúde mental ou nutricionista. 
Fonte imagem: Pinterest 


segunda-feira, 19 de junho de 2017

Comportamento Alimentar & Psicologia : novos canais de conteúdo, informação e comunicação


Boa tarde.

A partir de agora passo a divulgar, também, meu trabalho com comportamento alimentar e psicoterapia cognitivo comportamental através do Instagram e Facebook. O objetivo é compartilhar conteúdos e informações relevantes sobre essas temáticas e sobre meu trabalho.

Na imagem estão os endereços das páginas.

Espero que gostem!
Abraços



quarta-feira, 10 de maio de 2017

Comportamento Alimentar: algumas considerações

O comportamento alimentar é influenciado por aspectos psicológicos e sociais, não somente por aspectos fisiológicos da alimentação . A relação do indivíduo com a alimentação, as emoções, os pensamentos e as crenças sobre a alimentação são variáveis importantes a serem consideradas.

Muitas pessoas, e não somente àquelas com diagnóstico de transtornos alimentares,  enfrentam problemas e/ou dificuldades na sua relação com a alimentação. Em muitos casos, tais problemas geram prejuízo significativos para o indivíduo. Esse sistema complexo de relações, que envolve o comportamento alimentar, deve ser considerado nas intervenções relacionadas à alimentação.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Você tem fome de quê? Sobre "comer emocional"

É saudável obter satisfação e prazer através da comida, sim! No entanto, é importante a aprendizagem em relação aos sinais de fome e saciedade; o que envolve autoconhecimento.

Além disso, saber como responder ao chamado "comer emocional". Identificar se e quando essa forma de comportamento é fonte de prejuízos. Se comer em resposta a emoções (agradáveis ou desagradáveis) estiver repercutindo em prejuízos e/ou problemas para o indivíduo, então, é indicado encontrar alternativas para lidar com o gerenciamento das emoções.



quinta-feira, 20 de abril de 2017

Comer Emocional & Gerenciamento de Emoções


Neste post vou comentar o chamado "comer emocional". Ou seja, quando o comportamento alimentar ocorre não por fome fisiológica ou vontade de comer, MAS sim como uma maneira "disfuncional" de reagir a estados emocionais desagradáveis (ansiedade, tristeza, angústia, raiva, etc.). Para intervir nesse comportamento é importante aprender a identificar as emoções, estar consciente dos estados emocionais. Todas as emoções são importantes, mesmo as desagradáveis têm uma função. A questão não é tentar ignorar o estado emocional, mas sim reconhecer as emoções. Além desse autoconhecimento é importante desenvolver formas mais funcionais de reagir ou enfrentar um estado emocional desagradável ou situação adversa. 

Algumas formas alternativas de reagir a essas emoções são: reavaliação da situação, conversar com alguém, resolver possíveis conflitos, tentar "sair" da situação por alguns minutos, prática de exercícios físicos, técnicas de respiração.

 O aprendizado de novas possibilidades no gerenciamento das emoções é importante no enfrentamento ao "comer emocional" bem como para a mudança de comportamento alimentar.




quinta-feira, 9 de março de 2017

PSICOTERAPIA: AUTOCONHECIMENTO E MUDANÇA

 A psicoterapia pode promover mudanças nos padrões de comportamento, pensamento e gerenciamento de emoções. O autoconhecimento é um dos principais fatores associados aos processos de mudança.

Além de resolução de problemas e gerenciamento de momentos de crise, a possibilidade de desenvolver o autoconhecimento é um dos motivadores da busca pelo processo psicoterápico. 


“Sua   visão se tornará clara apenas quando você puder olhar dentro de seu coração.
      Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro acorda."
       
      Carl G. Jung

    

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Mudança de Hábitos

No processo de mudança de hábitos é importante avaliar os nossos comportamentos. Se não estão ocorrendo resultados positivos ou sucesso em aderir a alguma meta ou objetivo, talvez seja ideal reavaliar as metas e os comportamentos. É possível que as metas não sejam realistas, ou então, que estas sejam grandes demais! Também é provável que os comportamentos adotados necessitem de reavaliação e mudança de padrões. O importante é dar o primeiro passo em direção à mudança, mas não esquecendo de traçar metas possíveis. Além disso, é indicado iniciar com pequenas metas e ir ampliando conforme resultados favoráveis são alcançados.